www.jardineirasdeplantao2.blogspot.com


domingo, 10 de março de 2019

Recurso Didático Pedagógico: Parábola do Semeador

Minha amiga Cirlene, evangelizadora da nossa Casa, como sempre muito inspirada, elaborou esse recurso pedagógico maravilhoso. São caixas de sapato, simplesmente que são abertas revelando seu real valor e objetivo conforme a parábola, simbolizando como recebemos no terreno do nosso coração os ensinamentos de Jesus.

Há muito tempo atrás caminhava um homem por vários lugares. 
Ninguém lhe sabia o nome. 
Só lhes chamavam de o Semeador, porque ao caminhar
ocupava-se de lançar sementes por onde andava.
Então, caminhando por estradas, lançou sementes...
Mas, logo que o semeador partiu, os pássaros do céu ligeiros comeram todas!

Propositadamente deixamos aparecer a caixa de sapatos, que também poderia ser uma outra qualquer.

Seguindo no caminho mais à frente, lançou sementes que também caíram entre espinhos... 
                                            Mas, ooohhh! 
Das sementes que germinaram, logo todas foram sufocadas pelos espinhos que cresceram muito!

Ao levantar parte da tampa já aparecem os primeiros brotos que nasceram, porém quando se abre um pouco mais surgem mais espinhos a sufocarem.



Aqui nessa foto aparecem os dois lados para visualização do terreno de espinhos.

Continuando a marcha, também lançou sementes que caíram entre as pedras...
Lindas folhas germinaram, mas logo o sol aqueceu as pedras que as secaram as todas!

Ao se levantar parte da caixa aparecem também os primeiros sinais de germinação, porém as pedras sufocaram-nas impedindo-as de se desenvolverem normalmente.

Novamente uma visão panorâmica do não desenvolvimento das sementes que caíram nesse terreno pedregoso.

Mais adiante, o Semeador, lançou sementes que caíram em terra fértil!


E logo brotaram folhagem, que deram grandes árvores frondosas, de raízes profundas!
Seus frutos multiplicavam em outras tantas sementes devolvendo ao Semeador,
lindo cenário verdejante e acolhedor!Onde teve boas condições para plenamente frutificar.

É como se fosse um "antes" e "depois" com o mero levantar da tampa da caixa. Note-se que para dá esse efeito "pop up" foram utilizadas bandejas de ovos para enfatizar a imagem tridimensional.

Obs: Importante usar um peso de fundo para segurar a caixa na posição quando estiver aberta.

Bem assim queridas crianças, são os ensinamentos de Jesus em nossos coraçãozinhos...
Ao deixar-mos de orar, perdoar ajudar o próximo, sem estas práticas, as destas boas condutas cristãs, 
afastaremos para longe as sementes dos ensinamentos de Jesus!
Ao permitirmos que as tristezasdores a as decepções nos sufoquem as lições de amor de Jesus,
jamais compreenderemos seu divino testemunho de amor a todos nós!
Se dermos atenção aos impedimentos, desvios e afastamentos, por qualquer motivos e,
atendendo somente os apelos que o mundo material nos oferecem,
retardaremos a marcha da evolução de nosso espírito ao caminho do bem!

Depois da encenação do teatro e explicação dos terrenos e interpretação da parábola, chamamos três trabalhadoras da comunidade que participam do posto de assistência desde criancinhas do nível I para que testemunhassem algo que ficou bem vivo em sua memória ao longo desse tempo de semeadura aqui no posto de assistência Augusto Elias da Silva.


Andreia, que começou na evangelização infantil aos 4 aninhos, hoje trabalhadora da mocidade, falou que o que ficou mais vivo na memória dela, ao longo desses anos de participação no posto de assistência foi a importância de dizer não aos vícios. Que na comunidade local é comum as pessoas fazerem festas, churrascos e todos beberem até cair. E essa lição ela jamais esquece até hoje.

Rosimere, também chegou bem pequena, hoje trabalhadora das práticas artesanais da mocidade, disse que quando evangelizava crianças, aplicava o curso alcoolismo, certa vez foi buscar o pai embriagado em determinado lugar, uma evangelizanda, chamada Bárbara, a surpreendeu interpelando: Como a senhora ensina pra gente que a bebida faz mal pro corpo físico e espiritual e agora tá aqui? Encontrou-se numa situação embaraçosa mas conseguiu explicar o propósito de lá estar em função do vício do pai. Desse episódio ela nunca se esquecerá.

Elaine, hoje evangelizadora infantil, afirmou que sempre ouvia as tias dando aulas e tinha o sonho de também ajudar nessa área. Hoje concluiu esse sonho!
Que lindas histórias!!! Gratidão por ter participado desses momentos.


sábado, 9 de março de 2019

Teatro de Abertura 2019: O Semeador

Início da apresentação repetindo por três vezes a cena do áudio instrumental do som do trem e pais, crianças e professora entrando no meio de transporte, com ações repetidas com as mãos e reações de cochicho e riso disfarçado.
Áudio de som instrumental.........







NARRADOR: Praticamente todo dia a cena era igual. Os anos se passavam e a situação continuava a mesma. Várias gerações receberam, da bondosa e dedicada professora, ensinamentos valiosos e abençoados. Dona Angélica era uma pessoa de boas maneiras, calma e gentil, mas não muito bem compreendida.

 (Passa a professora se arrumando pra ir pra escola, pegando os livros, óculos...)
ANGÉLICA: Bom dia! Olá! Quanta gente bonita! Vocês são os alunos novos da escola? Que bom! Sejam bem vindos! Mas vamos! Não podemos atrasar no primeiro dia de aula. Ainda temos que pegar o trem, nossa escola fica na vila próxima.

NARRADOR: Envelhecia no exercício do dever de preparar as crianças para um futuro melhor, com espírito de abnegação e devotamento quase maternal.Dona Angélica não era considerada uma pessoa equilibrada em razão do seu comportamento, que parecia um tanto esquisito.

PAI: Viram isso? Só pode ser louca! Em todas as viagens de ida e volta à escola, faz gestos e movimentos com as mãos. Eu heim? Não sei não!

MÃE: É uma excelente professora, mas está completamente fora do juízo. Pela janela do trem, dona Angélica faz acenos como se estivesse dizendo adeus a alguém invisível aos olhos de todos.

PROFESSORA: Precisa sim de uma avaliação psicológica! Isso sim!

CRIANÇA: Será que é um fantasma? Rá rá rá... (Todos riem dela às escondidas, acenando e cochichando)

CRIANÇA: Que nada! Tá ficando gagá, que nem minha vó!!!
CRIANÇA: Ah! Essa piada é muito engraçada!!! Rá rá rá...
(A professora passa e todos a cumprimentam como se nada tivesse acontecido.)

ANGÉLICA: Bom dia meus amores! Vamos que tem muito trabalho a fazer hoje, muito o que estudar e aprender. Vejamos as partes da planta. Como já vimos tem folha, caule e raiz.

CRIANÇAS: Sim professora Angélica.

ALBERTO: Professora, por que você insiste em continuar com essas atitudes loucas?
ANGÉLICA: Que deseja dizer, filho? Interrogou, surpresa, a bondosa senhora.

ALBERTO: Ora, professora - continuou ele, - você fica dando adeuses para os animais, abanando as mãos... Isso não é loucura?
ANGÉLICA: Veja esta bolsa. - E apontou para a intimidade do objeto de couro forrado. Nota o que há aí dentro?

ALBERTO: Sim. - Respondeu Alberto. Eu vejo que há algo aí, mas o que é, afinal?
ANGÉLICA: É pólen de flores. São sementes miúdas... Há quase vinte anos eu passo por este caminho, indo e vindo da escola. A estrada, antes, era feia, árida, desagradável. Eu tive a ideia de a embelezar, semeando flores. Desse modo, de quando em quando, reúno sementes de belas e delicadas flores do campo e as atiro pela janela...

ALBERTO: Hummmm! É por isso que esse caminho está totalmente diferente! Era você!
ANGÉLICA: Sei que cairão em terra amiga e, acarinhadas pela primavera, se transformarão em plantas a produzirem flores, dando cor e alegria à paisagem.
Como você pode perceber, a paisagem já não é mais árida. Há flores de diversos matizes e suave perfume no ar, que a brisa se encarrega de espalhar por todos os lados.

ALBERTO: Que ideia maravilhosa! Eu também hei de semear flores!
ANGÉLICA: Alberto! Na vida, todos somos semeadores... Uns semeiam flores e descobrem belezas, perfumes e frutos. Outros semeiam espinhos e se ferem nas suas pontas agudas.

NARRADOR: Sigamos o exemplo da professora Angélica, pois, ninguém vive sem semear, seja o bem, seja o mal...Felizes são aqueles que, por onde passam, deixam sementes de amor, de bondade, de afeto...

Livro: O semeador. (Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Amélia Rodrigues), com adaptações. 

Obs: Para simbolizar o trem utilizamos as telas de TV de papelão do planejamento de aula: A paz em casa, paz no mundo. Como houve problema no áudio combinamos com as próprias crianças o barulhinho do trem. Foi lindo!!!

Dinâmica do barquinho de dobradura que transfoma em camiseta

Nesse ano, nas Concafras -2019, foi realizada essa dinâmica bem interessante, proposta pela equipe de doutrina, e resolvemos postar como sugestão.
Fazia parte da divisão dos grupos em cores. Logo na entrada cada participante ganhava um barquinho colorido, sendo que na parte interna já constava o símbolo da campanha Auta de Souza. No nosso caso, colocamos a logomarca do Centro Espírita pois a ideia é um convite para semeadura nos trabalhos e atividades aos quais estamos ligados, ou seja, nos Institutos: Infância, Mocidade, Esclarecimento e Família, Caridade e Divulgação.

Segue as orientações da atividade desenvolvida na Concafras de Alagoas, 2019.

"O Instrutor convida ao caravaneiro que pegue o barco de papel que recebeu na entrada e  passará o Vídeo-Dinâmica , contendo o texto: “Façamos uma analogia, onde o barco que receberam, representa nossa encarnação, a nossa vida e precisamos viver sempre em equilíbrio. (O instrutor levantará o barco e mostrará ele na posição reta, equilibrado).
Mas, vivemos num mundo de provas e expiações, um mundo materialista e nossa vida se depara com influências negativas que ressaltam nossas imperfeições como o ORGULHO. Pensemos que a orgulho está na Proa do barco que está nas mãos de vocês e conforme ele vai se desenvolvendo em nossas vidas, ele vai pesando na proa e influenciará nossa reencarnação, podendo afundar nosso barco. (O instrutor deitará a ponta da frente do barco, encenando ele afundando). Devemos combater esta imperfeição, se desenvolvermos a HUMILDADE. Convido você a cortar esse sentimento negativo como estou fazendo para que o barco volte a se equilibrar. (O instrutor corta a ponta do barco conforme o alinhavo e realinha o barco, equilibrando-o). Assim é nossa vida temos que nos esforçarmos para combater nossas imperfeições.
Mas somos novamente influenciados pelas coisas materiais e desenvolvemos os sentimentos de CÓLERA/RAIVA, que está representado na popa do barco, veja como ele pesa quando alimentamos estes sentimentos. (O instrutor deitará o barco na ponta de trás dele) sabemos que conforme nossa raiva vai crescendo, vai cada vez mais desequilibrando o barco e podemos afundar, resultando muitas vezes na perda da nossa encarnação. Devemos novamente opor esse mal, desenvolvendo o PERDÃO, sentimento nobre que todos devemos praticar. Convido a todos cortar a ponta do barco como estou representando. (O instrutor corta a ponta de trás do barco conforme o alinhavo). Que beleza, voltamos novamente a ter equilíbrio em nossa vida.
E a vida continua e somos novamente influenciados pelo EGOÍSMO, o grande mal da humanidade seu peso é bem no veleiro do barco, se deixarmos o egoísmo crescer em nós, a ação do seu peso afundará nosso barco. Para evitar isso, convido-os a desenvolvamos a CARIDADE, eterna ancora da salvação, para que o nosso barco se salve, cortemos esse mal pela raiz. (O instrutor corta a ponta de cima do barco conforme o alinhavo).








Conclusão da dinâmica:

O instrutor explicará: “O barco da vida navega e cortamos as arestas que são nossos sentimentos ruins e com o navegar, o caminhar dessa nossa vida, nós temos que tomar atitudes para que realmente essa mudança aconteça. Convido vocês a desdobrar o barco e vejamos no que o barco se transformou”. Após todos os caravaneiros terem desdobrado os barcos, o instrutor dirá: “o barco se transformou numa camiseta. Assim como a nossa vida pode modificar se soubermos transformar melhorando os nossos sentimentos, desenvolvendo nossas perfeições amando e servindo o Cristo”.
O Instrutor solicita que reflitam.
- Mas concordam que Deus nos oferece oportunidades para transformarmos?
- Como nos encontramos em relação ao trabalho do Cristo, estamos engajados, estamos nos esforçando? 
- Todos somos importantes na obra do Cristo?"(www.concafraspse.com.br)

No  nosso caso concreto de abertura dos trabalhos, em que deixamos juntos as crianças, jovens e assistidos, vamos utilizar essa dinâmica, num formato um pouco reduzido e mais simplificado e contextualizado para o entendimento de todos. Vamos deixar o passo a passo da dobradura em fotos. Mas facilmente se encontra vários paps na internet. Fica a dica!

Confraternização Temática de Abertura 2019: "Eis que o semeador saiu a semear!"


Trabalho Maria de Nazaré
Posto de Assistência Augusto Elias da Silva

Decoração e organização dos espaços: Abertura na área coberta ornamentada por quatro terrenos de semeadura: caminho, pedras, espinhos, terra boa. Moldura de fotos tendo por base as janelas do trem, onde a professora semeava. Flores e bambolês com fotos do trabalho significando a terra boa e seus frutos.

Objetivos:
- Refletir em torno da forma como assimilamos os ensinamentos de Jesus no terreno do nosso coração.
- Refletir sobre as sementes lançadas por nós para a construção do Reino de Deus na Terra.
- Sensibilizar para o entendimento de que Deus conhece nossas necessidades e a elas provê com o necessário e ainda deixa Jesus como modelo de perfeição a se seguir.

Cronograma:

09:00 às 09:30 – Recepção com alegria Cristã e personagens da história do semeador: professora, alunos, pais, cenário de trem, pedras e flores. Distribuição de crachás contendo sementes de papel (uma flor de dobradura contendo uma virtude escrita em seu interior - amor, paz, amizade, respeito...)
09:30 às 09:50 – Café da manhã e Prece Inicial.
09:50 às 10:10 -  Apresentação do teatro: Parábola do Semeador, com áudio e cenário dos terrenos com explicação no verso.









10:10 às 11:10 – Questionar para todos? O que significa então quando a semente cai em terra boa? (Deixar eles falarem.... Mostrar as fotos do trabalho do Centro por meio de fotos e explanar a respeito. ) Divisão dos grupos para conhecer as atividades desenvolvidas no Centro Espírita, em forma de rodízio 10min: Evangelização, Mocidade, Divulgação, Assistência, Esclarecimento. Fazendo uma alusão ao trabalho de semeadura de paz, conforto e esclarecimento do centro espírita na comunidade em que estamos. (painel com fotos, cartazes de explanação daquela tarefa.









- Ao final do rodízio cada grupo vai apresentar uma paródia sobre o trabalho daquela atividade desenvolvida.







11:10 às 11:30 – Apresentação da História do semeador.(Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Amélia Rodrigues.



Distribuir um barquinho de papel para cada participante: criança, jovem, assistido e trabalhador. Ouvir os direcionamentos e comandos até que esta dobradura se transforme em camiseta com a logomarca do Centro Espírita Augusto Elias.( adaptação da dinâmica realizada na Concafras 2019). Ver no post acima as reflexões.





11:30 às 11:45 – Dinâmica da flor na água. Cada um receberá um copo com água para semear a semente de dobradura que está no seu crachá e esperará desabrochar.    
11:45 às 12:00 – Agradecimentos/Lanche (cachorro quente e refrigerante), entrega de lembranças. (mensagens para distribuir no caminho de volta pra casa.)

Providências: dobradura de flor, copo com água, painel do trem com três janelões emendados por cordas ou tiras, flores, figurino dos personagens, lanche, lembranças mensagens, bambolês com fotos e cartazes das atividades do centro espírita, aparelhagem de som.